html> SUPLEMENTO CULTURAL
Free counter and web stats
 

 
 

 

"Poetas, seresteiros, namorados

Correi

É chegada a hora de escrever e cantar

Talvez as derradeiras noites de luar"

Gilberto Gil

 

 

AS CENTÚRIAS E OS PAPAS

Profecias e Políticas

 

 

Quando todos pensávamos que as paranóias de fim de mundo (por ocasião da virada do século) haviam arrefecido, a morte do papa João Paulo II, trouxe à baila as profecias (evidentemente catastróficas). Tsunamis à parte, a sucessão no comando da Igreja Católica reacende a chama de especuladores e estudiosos, quer baseados nos textos de Nostradamus, de Malaquias e da monja de Dresden (além de outros menos cotados). Que previsões são essas, que perfil político apresentam, e afinal quem foram esses ungidos que séculos antes predisseram anos terríveis para a humanidade, em especial para o povo católico? Sem querer açodamento, esperamos que o novo papa se instalasse e passasse a sinalizar os novos rumos para podermos , aí sim, colocarmos em discussão as sinalizações contidas nas famosas Centúrias e em outros textos.

 

Segundo a tradição Judaico-Cristã, o profeta é um indivíduo que fala aos outros em nome de Deus, ou melhor, fala diretamente ou através de símbolos como se fará a sua vontade em futuro próximo ou distante. Podem também ser chamados de oráculos, visionários ou videntes. Não se atêm à previsão de acontecimentos futuros, mas em meio de transes proféticos, passam a serem considerados legítimos porta-vozes de Deus. Como muitas vezes são pouco objetivos dependemos de outros estudiosos que se propõem a destrinchar os signos e os significados. Na verdade, esses estudiosos refletem seus conceitos e preconceitos, em geral embalados em reacionarismos e conservadorismos inclusive políticos.

 

 

NOSTRADAMUS E AS CENTÚRIAS

 

Michel de Nostredame, ou Miguel de Nossa Senhora recebeu a alcunha de Nostradamus, talvez para melhor combinar com seu espírito alquímico.Com o codinome latino NOSTRADAMUS, passou (após sua morte) a ser considerado o maior profeta de todos os tempos. Suas previsões englobam um período que vai de 1557 ao que se convencionou chamar "fim dos tempos". Na introdução de suas Centúrias, Nostradamus previa os ataques ao decorrer dos séculos, sobre seu texto.

 

Com uma única obra de destaque as tais Centúrias, para alguns é o livro mais comentado de todos os tempos, depois da Bíblia. Consta que ainda em sua época, ao prever a morte do rei Henrique II num  torneio de liça, em 1559, quatro anos antes, quando foi editada a primeira parte de sua obra começou a ser reconhecido.

 

Nostradamus acaba por ter com seus biógrafos registros no mínimo surpreendentes. Por exemplo, que nasceu precisamente ao meio-dia de 14 de dezembro de 1503, (uma quinta-feira), em Saint Rémy de Provence, sul da França, região próxima do Mediterrâneo.

 

Descendia de uma família de cristãos novos e freqüentava a igreja regularmente. O sobrenome da família Notre-Dame foi tomado do bairro epônimo de Avignon, cidade do sul da França onde já viviam em fins do século XV. Ainda lá aos 14 anos, iniciou-se no estudo de humanidades, gramática, filosofia, retórica e arte em um centro renascentista. Nessa época, conta que dominava o grego e o latim. Em 1522, sua família, preocupada com a Santa Inquisição, enviou-o para Montpellier para estudar medicina na universidade. Nostradamus bacharelou-se, recebendo licença para praticar a medicina.

 

Segundo Valério Evangelisti (natural de Bolonha) que estudou e romanceou a vida de Nostradamus, ser um Magus é possuir a chave dos próprios sonhos, ter o poder de alterar seus conteúdos e ver além do tempo. E esse foi o seu maior mérito.

 

Na obra "Magus" (editada em três volumes pela Bertrand Brasil) Valério Evangelisti nos mostra que esse foi o desafio daquele estudante de medicina que aceitou conhecer Ulrico de Magonza, médico cabalista, admirador da cultura hebraica. Dizem que teve uma vida devassa que contrastava com seus estudos sobre o oculto. Nostradamus é assim iniciado nas artes da Magia e da Alquimia.

 

Cerca de 1532, seguiu seu trabalho médico (ele e seu mestre buscavam curar os enfermos da Peste Negra) assistindo os enfermos de Narbonne, Toulouse, La Rochelle e Bordéus. Porém,  Nostradamus também vendia cosméticos, perfumes e filtros de amor que ele mesmo preparava.

 

Ao chegar a Agen, Nostradamus prestes a conquistar o seu título de médico divide com seus amigos como François Rabelais, estudos e práticas médicas. Casou-se com Adriette du Loubejac, jovem de alta posição, com quem teve um casal de filhos. Em 1537 a peste chega a Agen e Adriette e os filhos morrem repentinamente, e segundo historiadores ele se refugia no mosteiro de Orval, no Luxemburgo.

 

Em 1547,  morando em Salon, passou então a escrever um almanaque anual que era vendido pelos mascates às populações rurais. O almanaque, basicamente tratava de previsões metereológicas, das plantações e das condições locais e regionais.

 

Com a experiência de iniciado utilizava-se de ervas para entrar em um mundo só a ele permitido... Realmente o Século XVI foi um século de grandes transformações e descobertas. A inquisição era cruel.

 

Para quem não sabe, Nostradamus publicou outras utilidades (livros de consulta) além das centúrias, como Adornos e Cheiros Para Embelezar o Rosto, e em 1552 o Traité de Fardements et Confitures (Tratado de Adornos e Confeitaria), um livro de receitas diversas onde expõe métodos de assepsia para a conservação de doces em compotas, além de cosmética.

 

Foi só em Maio de 1555, que Nostradamus publicou seu famoso livro pela casa Macé Bonhomme, de Lyon. Essa primeira edição continha apenas as três primeiras Centúrias e mais 54 quadras da quarta, precedidas pelo Prefácio de M. Nostradamus, dedicado ao seu filho César, recém-nascido. A rainha Catarina de Médicis, interessada por ciências ocultas, mandou chamá-lo à Corte, aonde chegou em 15 de agosto de 1555. Em 1557 saiu uma segunda edição de As Centúrias, revista até a sétima.  Em edições posteriores seriam acrescentados as Sextilhas e os Presságios, além de quadras suplementares.

 

Em 1561 registra-se a publicação, em Paris, do seu Le Remède Très Utile Contre la Peste et Toutes Flèvres Pestilentielles (O Remédio Muito Útil Contra a Peste e Todas as Febres Pestilentas).No fim da vida escreveu o Moultes Opuscules, onde narra sua atuação contra a peste na Provença, e suas peregrinações particularmente pela Itália. Em 1572 imprimiu-se em Lyon seu Traité des Singulières Recettes pour Entretenis la Santé du Corps; les Confitures; Opuscule de Plusieurs Exquises Recette (Tratado de Receitas Singulares para Manter a Saúde do Corpo; Confeitarias; Opúsculo de Várias Receitas Esquisitas). Deixou também manuscritos onde parafraseava o Hórus Apolo, e uma paráfrase de Galeno.

 

Sofrendo de gota que se transformou em hidropisia, previu sua morte próxima e redigiu seu testamento em 17 de junho de 1566. Na manhã do dia dois de julho de 1566 foi encontrado morto no seu gabinete de trabalho. No presságio 141, última quadra das Centúrias, Nostradamus predisse a própria morte:

 

"De retorno da Embaixada, tendo o presente do rei colocado no lugar,

Nada mais fará, será levado a Deus:

Os parentes mais próximos, amigos, irmãos de sangue,

Encontrá-lo-ão morto perto do leito e do banco. "

 

Sepultado na igreja do Convento de Cordeliers recebeu em seu túmulo o seguinte epitáfio - "Aqui estão os restos mortais do mui ilustre Michel Nostradamus, o único, na opinião de todos os mortais, cuja pena, quase divina, foi digna de escrever segundo o movimento dos astros, os futuros acontecimentos que hão de acontecer no mundo inteiro. Viveu 62 anos, seis meses e 17 dias. Morreu em Salon no ano de 1566. Que a posteridade não perturbe o seu repouso. Ana Ponsard, sua segunda esposa, deseja ao seu excelente esposo um eterno descanso".

 

AS PROFECIAS DE NOSTRADAMUS

 

V. 92.

Apres le siege tenu dix sept ans,

Cinq changeront en tel revolu terme :

Puis sera l'vn esleu de mesme temps,

Qui des Romains ne sera trop conforme.

 

 

  V. 92.

Depois que o pontificado completar 17 anos

Cinco (papas) mudarão em tal "termo de revolução"

Depois será eleito um de mesmo tempo

Que dos romanos não será muito concordante

 

 

Pode parecer confusa a princípio a forma dos estudiosos interpretarem as Centúrias e Profecias de Nostradamus, porém vamos nos ater as profecias finais sobre o papado. Nostradamus profetizou no primeiro verso da referida centúria que "Apres le siege tenu dix sept ans", traduzindo quando vier um papa cujo período de tempo forem 17 anos. Estaria referindo-se ao papa Pio XI que foi o único que teve um período de papado igual, mais precisamente com 17 anos e 4 dias. E continua "Cinq changeront en tel revolu terme", e aí a interpretação complica-se "Nostradamus faz uso de uma coincidência. A numeração dos anos dos séculos se repete a cada século. Mudam os dois primeiros dígitos e os dois menos significativos recomeçam as séries. É a isso que ele está se referindo com "en tel revolu terme", isto é, 1939, retirando-se a parte que não muda, ficamos com 39. Somando-se 39 a 1939, temos 1978, quando foi eleito o quinto papa do período, após o papado ter 17 anos."  Clareando, o  que Nostradamus prevê aqui é o pontificado de Pio XI durando pouco mais de 17 anos e depois teríamos cinco mudanças começando em 1939 e terminando 39 anos depois em 1978, com a eleição de João Paulo II.

 

Após o quinto papa, João Paulo II, seria eleito aquele que foi denominado por Malaquias como Da Glória da Oliva. Na quadra, sabemos que dos romanos não será muito semelhante. "O termo conforme, mais do que a semelhança física, diz respeito a um modelo típico ou comportamento. Essa quadra, juntamente com C01Q096, compõem um significado bastante específico". O terceiro verso diz que "Puis sera l'un esleu de mesme temps". Isto significa que a duração do mandato será a mesma do termo de revolução do ano de sua eleição: eleito em 2005, seu mandato como papa durará cinco anos, indo até 2010. 

 

E Joseph Ratzinger passa então a ser o novo personagem de Nostradamus que o designa como águia. O simbolismo da águia para uma pessoa natural da Alemanha é com certeza apropriado.  A águia é um símbolo que Nostradamus utilizou para designar a Alemanha, (e era o símbolo ostensivamente usado pelos nazistas). Como vimos, se Joseph Ratzinger não foi nazista por opção envergou o uniforme do Reich, mas é certo que se para Nostradamus "dos romanos ele não estará muito de acordo", basta ver sua carreira no vaticano. Esta referência da profecia prevê a participação que Ratzinger em uma futura invasão da Europa.

 

Mas não vamos nos ater ao papa então. vejamos

 

III. 77

 

Le tiers climat sous Aries comprins

L' an mil sept cens vingt & sept en Octobre:

Le Roy de Perse par ceus d' Egypte prins

Conflit, mort, perte, à la croix grand opprobe.

 

III. 77

 

A terceira latitude sob Áries compreendida

O ano mil setecentos e vinte e sete em Outubro

O rei da Pérsia pelos do Egito preso

Conflito, morte, perda, à cruz um grande opróbrio

 

Esta quadra é indicada por estudiosos como a que indica a grande provação que a Igreja Católica Romana irá passar. Nos cálculos (que pouparemos o leitor de tentar entender) a expectativa é que tal aconteça por volta de 2008/2009.  Segundo eles a data citada nesta quadra é bastante precisa na medida em que cita  o "ano de Nostradamus" e também o mês.

 

O terceiro verso fala do rei da Pérsia e essa é fácil. pois sabemos que a antiga Pérsia, é o que são hoje o Iraque e o Irã. O quarto verso fala de acontecimentos dolorosos, bélicos, com referência óbvia à Igreja Católica (esta lá - à cruz um grande opróbrio). E tome certezas de uma nova guerra santa!

 

No clássico Profecias de Nostradamus, escrito por José Marques da Cruz e republicado ao correr dos anos com anotações e atualizações feitas por Sérgio Marques da Cruz (Editora Pensamento), podemos encontrar além de várias outras profecias e previsões a carta de Michel de Nostradamus escrita em Salon na Provence em 27 de junho de 1558. Podemos ler a respeito do papa e da igreja - "..ver-se-ão as maiores tribulações que jamais aconteceram desde a fundação da Igreja Cristã e através de todos os países latinos, ficando apenas vestígios em alguma região das Espanhas". E segue..."Então o 3º Chefe militar, compreendendo a principal razão dos sofrimentos do povo, levantará um imenso exército e, não escutando senão a voz da tradição de seus antepassados reporá tudo na ordem; e o Papa, cujo sustentáculo foi sempre a raça capetingia (dos capetos, reis de França), será reposto no seu antigo lugar". Mas não acaba por aí... "mas (depois) virá um tempo em que o Papa será ainda afastado e abandonado". E assim, tome Anticristo!

 

 

 

 

MALAQUIAS E A MONJA DE DRESDEN

 

As profecias de São Malaquias não são tão populares quanto às de Nostradamus, mas na opinião de alguns estudiosos, é a que tem os melhores índices de acertos. O nome de Malaquias é a forma latinizada de Maelmhaedoch O'Morgair, que era sacerdote e nasceu em Armagh, Irlanda, em 1094. Em 1139, a Irlanda teria recebido uma delegação do Vaticano. Outros afirmam que a verdade é que em 1119 ele foi ordenado padre. Mas só em sua primeira viajem a Roma, aos 45 anos (em 1139), é que suas visões começaram.

 

 A partir desse marco, Malaquias, passa a ter estranhos transes com visões proféticas. É assim que vê a sucessão de todos os papas, desde o sucessor de Inocêncio II (que era o Papa na época) até o último Papa do pontificado, que segundo ele se chamaria Petrus II (Pedro II). Sua profecia, indo de Inocêncio II até o último Papa, soma uma lista de 112 pontífices.

 

Se levarmos em conta a lista, o papa Bento XVI seria o penúltimo a assumir o cargo. De uma forma ou outra, o "fim do mundo viria aí" já que Malaquias também revelou que o último Papa viveria o final dos tempos.

 

Conta que antes do outono de 1140, todas as suas profecias haviam sido transcritas para o papel. Malaquias confiou as visões encadernadas ao então Papa Inocente II. Segundo alguns o Papa recebeu uma visão e uma advertência dura de Deus para que acreditasse naquelas previsões. Assustado trancou os lemas na Igreja onde lá permaneceram, não lidos, por quase 400 anos. Foi em 1595 que o monge Arnoldo de Wion, famoso por sua santidade e sabedoria, publicou um livro intitulado Lignum Vitae. O texto era baseado nas profecias do já então São Malaquias.

 

Malaquias passou o resto de sua vida servindo a Deus, curando e alimentando os famintos. Ele recebeu visões até o fim de sua vida - predizendo, com 19 dias de antecedência, a própria morte com exatidão de data e hora. Morreu nos braços de São Bernardo, em Clairvaux, França. Dos 113 Papas preditos por São Malaquias, 10 são considerados Antipapas. Vamos resumir um pouco sobre os mais recentes-

 

Pasor et Nautica - O pastor e Pescador - Angelo Giuseppe Roncalli ou João XXIII (1958 - 1963) foi um papa amado por todos. Quando eleito pontífice, ocupava o cargo de cardeal patriarca de Veneza e tinha o título de "Pastor Venetiarum" ou "Pastor de Veneza". Ele era freqüentemente chamado de o "Pastor do Mundo". Por onde passou realizou inúmeras conversões. Sendo assim era um "pescador de homens" e um "poupador de almas". Em 1962, depois de ler o "Terceiro Segredo de Fátima", realizou o Concílio Vaticano II, um retorno da Igreja, para a discussão sobre o futuro da humanidade e o destino da Igreja. Outra corrente justifica a profecia/lema como a de que ele foi pastor na infância e nasceu na cidade de Veneza, onde o transporte é realizado por barcos.

 

 

Flos Florum - Flor das Flores - Paulo VI - (1963 - 1978) - O brasão da família do papa apresenta três flores-de-lis chamada de a flor das flores. E ainda no brasão do Papa, uma flor de lis.

 

De Medietate Luna - Da Metade da Lua - Albino Luciani ou João Paulo I (1978) - O significado do nome de batismo de Albino Luciani é "Luz Branca" e mais, ele nasceu em Forno di Canalin, na diocese de Belluno; e Luno, em latim, significa Lua. Outros vão além e mostram que na data de seu nascimento, em 17 de outubro de 1912, a lua estava em quarto crescente e na data de sua ordenação sacerdotal (7 de julho de 1935), na eleição para bispo de Veneza (15 de dezembro de 1969) e em todas as datas importantes em sua vida a lua estava em quarto crescente. O Papa João Paulo I ficou no pontificado pelo período correspondente ao ciclo de uma lua, ou seja, 34 dias.

 

De La Pessoa Enfadonha Solis - O Trabalho do Sol - Karol Jozef Wojtyla ou João Paulo II - (1978 - 2005) - Na opinião popular sobre seu lema ele foi um dos únicos papas que já teve que trabalhar fisicamente. Labor, em latim (segundo o livro Lexikon - de Porcellini), significa antes de qualquer coisa "uma queda de forças" de quem atua. Isto dá sentido a duas interpretações: a primeira é que o país de origem de João Paulo II é de clima muito frio, com um "sol muito fraco" ou "sem forças", onde as temperaturas podem ser baixíssimas, já a segunda teria relação com o grave incidente que teve lugar em 13 de maio de 1981, quando o pontífice foi vítima de um atentado, provocando um "desfalecimento" e "queda de forças". Os Eclipses solares acompanharam datas importantes da vida Karol Wojtyla, nascido em 18 de Maio de 1920, durante eclipse solar. Foi eleito Papa a 16 de Outubro de 1978, durante outro eclipse solar. Em seu 21º aniversário de Papado, ocorre mais um eclipse.

 

Gloria Olivae - Glória da Oliveira -Tomando como base o termo "Glória da Oliveira", o papa que está por vir deverá vivenciar um período de paz mundial. Dizem as profecias, que este Papa converterá muitos Judeus, sendo a Oliveira o símbolo de Jerusalém. Este Papa seria um conciliador, evitando uma guerra. Será assim com Bento XVI?

 

In Persecutione Extrema - Na Última Perseguição - Segundo este lema, este seria um tempo de uma dura perseguição à Igreja Católica. Mas não se teria papa neste período?

 

Petrus Romanus - Pedro, o Romano - Com este último lema, teríamos o fim da Igreja Católica, Apostólica e Romana? Ou seria este um aviso de uma reformulação do que seria hoje a Igreja Católica. Nas palavras do próprio Malaquias - "Na perseguição final à Santa Igreja Romana, reinará Pedro Romano, que apascentará suas ovelhas, entre muitas tribulações, e depois disto, a cidade entre sete montes (Roma?) será destruída e o juiz terrível julgará o povo". O papado termina como começou, com Pedro, o Romano.

 

Segundo consta, a Monja de Dresden foi uma mulher de nome desconhecido, muito religiosa, que viveu num mosteiro da cidade de Dresden, antiga capital da Saxônia. Essa mulher teria atraído multidões que buscavam conselhos e palavras de sabedoria. Diziam que a Monja poderia predizer o futuro. Morreu aos 26 anos de idade, em 1707. Vamos conferir o que ela escreveu sobre os últimos Papas da Igreja Católica - "Mas o último carro será o mais pesado. Será puxado pelos cavalos do apocalipse aos pares e atingirá a montanha, onde estarão a espera-lo os três anjos da guarda do vale de Josafá. A esses anjos serão entregues as chaves de Pedro. Assim será fechada para sempre a casa milenar, sobre a qual triunfará o justo que sobre o calvário derramou seu sangue preciosíssimo"

 

A Monja também teria feito previsões com relação ao século 20. Em destaque:

 

"A idade do nosso salvador, fechar-se-á sobre a terra no fim do nosso milênio e depois haverá o milênio do êxtase do Espírito Santo. Três são os últimos anos do pântano": 1914 (que foi o início da primeira guerra) 1942 (auge da segunda guerra) e 1981 (ano da tentativa de assassinato ao papa João Paulo II). E continua..."Três são as chagas que ensangüentarão a terra. E a última ensangüentará as vestes do sumo pontífice. O primeiro Anjo de Josafá aparecerá em Roma após um terremoto pavoroso e será aprisionado. O segundo Anjo de Josafá chegará a Roma para ser trucidado. E o ouro, os poderes e as vestes de César serão dispersados. Haverá carnificina na corte. E a carnificina dos cortesãos, porque irmãos falsos entrarão na terra com foices e ceifarão a verdade. Judas estará entre eles e portará a insígnia de Pedro. Assim me disse a voz."

 

OUTRAS PROFECIAS

 

Na primeira carta de Paulo aos coríntios, a profecia é considerada como um dom do Espírito-Santo, onde identificamos sabedoria, ciência, dom das curas, poder de fazer milagres, profecia, discernimento de espíritos, o ato de falar línguas estranhas e entender línguas estranhas.  Na Bíblia os profetas sempre estiveram presentes e são considerados livros proféticos os de Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

 

 

Entre as profecias podemos citar, por exemplo, a de que o salvador viria de uma tribo de Judá - "O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de autoridade dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertence; e a ele obedecerão os povos". (Gn 49.10). E que pregaria na Galiléia - "Mas para a que estava aflita não haverá escuridão. Nos primeiros tempos, ele envileceu a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos fará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia dos gentios. O povo que andava em trevas viu uma grande luz; e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a luz". (Is 9.1-2)

 

Mostraria que Jesus não se defenderia ao ser acusado, confira - "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca". ( Is 53.7)

 

Encontramos também profecias nos chamados Evangelhos Apócrifos como o "Evangelho de Maria Madalena", "Evangelho de Tiago", "Livro de Enoch" entre outros. Nos manuscritos conhecidos como os do "Mar Morto", temos "O Evangelho de São Tomé".  E lá encontramos textos como este - "Os homens provavelmente pensam que eu vim, para lançar a paz no mundo; eles não sabem que eu vim para lançar divisões sobre a terra o fogo, a espada e a guerra". E mais..."Eu lhes darei o que os olhos não viram, o que os ouvidos não ouviram, o que as mãos não tocaram e o que não surgiu no coração do homem".

 

A Igreja católica reluta a aceitar algumas profecias e outras passam por processos de acobertamento e proibição de divulgação. Mas disse São Paulo - "Não desprezeis as profecias; examinai todas as coisas: retende o bem".

 

Outros que fizeram previsões foram o Cura D'ars (São João Maria Avianney que viveu de 1786 a 1859) e Santa Odila (princesa do século VII que santificou os países do ocidente da Europa). O Cura D'ars profetizou a guerra franco-prussiana, a primeira e a segunda guerras mundiais. Já Santa Odila além das guerras do século XX vaticina sobre o anticristo - "Ele será ainda a causa de outras matanças, e ainda muitas lágrimas serão derramadas. Mas a era da paz sob o ferro terá chegado e os dois cornos da lua serão vistos, juntando-se em forma de cruz, pois, nestes dias, homens assustados adorarão a Deus, em toda a fé, e o sol brilhará com esplendor desacostumado".

 

Para completar, na profecia de Frei Johannes (1660) curiosa no mínimo - "Não será um combate humano o que se travará no lugar em que o Anticristo forja as suas armas. Os defensores do Cordeiro exterminarão o ultimo exército do Anticristo, mas será preciso fazer do campo de batalha uma fogueira grande como a maior das cidades". Muitos dizem que se trata da Alemanha, mas é certo que  as atuais batalhas se dão fora dos objetivos iniciais. O terrorismo internacional e o intervencionismo norte-americano se parecem muito mais com esse quadro.

 

CONSIDERANDO-SE O NOVO PAPA

 

Nascido em 16 de abril de 1927, num sábado de Aleluia, o novo papa é de uma família tradicional da pequena cidade de Marktl-amm-Inn, na conservadora e católica Bavária. Joseph Ratzinger viveu parte de sua adolescência sob a Alemanha nazista. Muito embora no ano de 1939, tivesse ingressado no seminário de Traunstein, com o início da Segunda Guerra interrompeu seus estudos, que passaram a ser aplicados pelo seu pai que era policial. No ano de 1944, fez treinamento militar na Juventude Hitlerista, em uma unidade de defesa antiaérea, e oficialmente (na biografia autorizada pelo Vaticano) foi forçado a entrar para as tropas de Adolf Hitler, como ocorria a todo cidadão alemão, porém nunca tendo pertencido ao Partido Nazista.

 

Consta ainda que Ratzinger desertou em 1945 e retornou à sua casa em Traunstein sendo preso pelas tropas aliadas. Libertado juntamente com seu irmão George reingressaram ao seminário em novembro de 45. Foi ordenado padre seis anos depois. Intelectual conservador (foi um incansável e impiedoso combatente da Teologia da Libertação) é aclamado pela Opus Dei, a ordem leiga ultraconservadora transformada em prelazia pessoal por João Paulo II.

 

Em 1977, foi nomeado arcebispo de Munique e ungido cardeal pelo papa Paulo VI. Tomou parte nos conclaves de 1978, que elegeram os papas João Paulo I e João Paulo II. No ano de 1981, Ratzinger foi convidado por João Paulo II a assumir a Prefeitura da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé mais conhecida por nós como Santo Ofício ou Tribunal da Inquisição.

 

Assim como São Bento, é um homem severo e aparentemente viverá tal como ele uma época de miséria e fome, e com a Igreja de Roma em declínio frente a sua antiga influência mundial. O papa Bento XVI também terá de enfrentar tempos bastante turbulentos e de mudanças. Na verdade nunca houve um alemão com tanta influência no Vaticano e um intelectual católico tão respeitado que pode discursar em dez línguas, incluindo o latim e o grego.

 

 

QUEM VIVER VERÁ?

 

Frente as Profecias aqui apresentadas e validando o fato político que algo irá ocorrer no seio da Igreja Católica explicamos aqui alguns fatos sobre o atual papado. Joseph Ratzinger escolheu São Bento e não São Benedito como muitos apressados comentaristas entenderam e alardearam como o seu inspirador e padrinho de seu nome. A tradição diz que São Bento viveu entre 480 e 547, embora não se possa afirmar com certeza que essas datas sejam historicamente acuradas. Seu biógrafo, São Gregório Magno, papa de 590 a 604, não registra as datas de seu nascimento e morte, mas se refere a uma Regra escrita por Bento. Há discussões com relação à datação da Regra, mas parece existir um consenso de que tenha sido escrita na primeira metade do século VI.

 

Segundo o site do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro "São Gregório escreveu sobre São Bento no seu Segundo Livro dos Diálogos (versão inglesa disponível em Dialogues), mas seu relato da vida e dos milagres de Bento não pode ser encarado como uma biografia no sentido moderno do termo. A intenção de Gregório ao escrever a vida de Bento foi a de edificar e inspirar, não a de compilar os detalhes de sua vida quotidiana. Buscava mostrar que os santos de Deus, em particular São Bento, ainda operavam na Igreja Cristã, apesar de todo o caos político e religioso da época. De acordo com os Diálogos de São Gregório, Bento (e sua irmã gêmea, Escolástica) nasceu em Núrsia, um vilarejo no alto das montanhas, a nordeste de Roma. Seus pais o mandaram para Roma a fim de estudar, mas ele achou a vida da cidade eterna degenerada demais para o seu gosto. Por conseguinte, fugiu para um lugar a sudeste de Roma, chamado Subiaco, onde morou como eremita por três anos, com o apoio do monge Romano."

 

A história tem toques de triller moderno e conta que foi então descoberto por um grupo de monges que o incitaram a se tornar o seu líder espiritual. Mas o seu regime (na ordem religiosa) logo se tornou excessivo para os monges indolentes, que planejaram então envenená-lo. Gregório narra como Bento escapou ao abençoar o cálice contendo o vinho envenenado, que se quebrou em inúmeros pedaços. Depois disso, preferiu se afastar dos monges indisciplinados.

 

São Bento estabeleceu doze mosteiros com doze monges cada, na região ao sul de Roma. Mais tarde, talvez em 529, mudou-se para Monte Cassino, 130 km a sudeste de Roma; No local, uma de suas ações foi o de destruir o templo pagão dedicado a Apolo e construir seu primeiro mosteiro. Foi ali que escreveu sua Regra para o Mosteiro do Monte Cassino, já prevendo que ela poderia ser usada em outros lugares. Por ocasião da dedicação do Mosteiro de Monte Cassino em 1964, após sua reconstrução, o Papa Paulo VI proclamou São Bento (ca. 480 - ca. 547) patrono principal de toda a Europa.

 

Para entender melhor a escolha e mostrar como a confusão principalmente dos brasileiros que a escolha do nome de "Benedecto" ligando-o a São Benedito explicamos que este santo católico nasceu na Sicília, Itália, em 1526. Seus pais eram descendentes de escravos vindos da Etiópia, e mais tarde libertos por seus senhores, tomando o sobrenome dos mesmos.

 

Sua família era pobre e o Mouro, como era chamado, foi pastor de ovelhas e lavrador e aos 18 anos decidiu dedicar sua vida à Igreja Católica. Aos 21 anos foi chamado por um monge para viver entre os Irmãos Eremitas de São Francisco de Assis. Professou os votos de pobreza, obediência e castidade, andava descalço, dormia no chão sem cobertas e fazia muitos outros sacrifícios. Depois de 17 anos, transferiu-se para o Convento dos Capuchinhos, onde foi escalado como cozinheiro, permanecendo nesse serviço até ser eleito superior do Mosteiro. Era leigo e analfabeto, porém escolhido por sua santidade, prudência e sabedoria. Considerado iluminado pelo Espírito Santo, profetizou muitas vezes com incrível acerto. Conta-se que regularmente São Benedito recolhia alimentos do convento escondia-os nas dobras do burel e os levava aos necessitados. Certa feita o santo foi surpreendido pelo superior do convento, que perguntou: "Que levas aí, na dobra do teu manto, irmão Benedito?". E Benedito respondeu "Rosas, meu senhor!". E desdobrando o burel franciscano em lugar da comida desviada apresentou ao superior uma braçada de rosas. É cultuado principalmente no Norte e Nordeste do Brasil, onde o chamam "O Santinho Preto". São Benedito morreu em 4 de Abril de 1589 em Palermo, na Itália.

 

Podemos entender um pouco da belicosidade e conservadorismo do papa Bento XVI lendo seus textos. Na vigília da sua eleição para o Sólio Pontifício, na manhã de segunda-feira, 18 de Abril, na Basílica Vaticana, celebrou a Santa Missa "pro eligendo Romano Pontefice" com os Cardeais eleitores, poucas horas antes do início do Conclave que o teria elegido disse (versão da página Oficial do Vaticano) - "Não deveríamos permanecer crianças na fé, em estado de menoridade. Quantos ventos de doutrinas conhecemos nestes últimos decênios, quantas correntes ideológicas, quantas modas de pensamento... A pequena barca do pensamento de muitos cristãos não raramente foi agitada por estas ondas, lançada de um extremo ao outro:  do marxismo ao liberalismo, até à libertinagem; do coletivismo ao individualismo radical; do ateísmo a um vago misticismo religioso; do agnosticismo ao sincretismo e por aí adiante. Todos os dias surgem novas seitas e realiza-se quanto diz São Paulo sobre o engano dos homens, sobre a astúcia que tende a levar ao erro (cf. Ef 4, 14).” Ter uma fé clara segundo o Credo da Igreja é com freqüência, classificado de fundamentalismo.

 

 Ou exemplos mais contundentes de que a Igreja viverá momentos de real angústia e ações de grande rigidez - nas meditações da Via Crucis, rezada no Coliseu na recente Sexta-Feira Santa (quinta-feira, 24 de março de 2005), e que foram redigidas pelo então cardeal Joseph Ratzinger. Para muitos católicos "o homem que escreveu estas meditações, de forma alguma decepcionará o Céu permitindo que falsas doutrinas adentrem os recintos da Igreja sob a sua tutela".

 

Confira - "O preço da justiça é sofrimento neste mundo: Ele, o verdadeiro rei, não reina por meio da violência, mas através do amor com que sofre por nós e conosco. (...) Na queda de Jesus sob o peso da cruz, é visível todo este seu itinerário: a sua voluntária humilhação para nos levantar do nosso orgulho. E ao mesmo tempo aparece a natureza do nosso orgulho: a soberba pela qual desejamos emancipar-nos de Deus sendo apenas nós mesmos, pela qual cremos que não temos necessidade do amor eterno, mas queremos organizar nossa vida, sozinhos. Nesta revolta contra a verdade, nesta tentativa de nos tornarmos deus, de sermos criadores e juízes de nós mesmos, caímos e acabamos por nos auto-destruir." (e mais à frente, exorta) "Destruí o poder das ideologias, para os homens poderem reconhecer que estão permeadas de mentiras. Não permitais que o muro do materialismo se torne intransponível. Fazei que Vos ouçamos de novo. Tornai-nos sóbrios e vigilantes para podermos resistir às forças do mal, e ajudai-nos a reconhecer as necessidades interiores e exteriores dos outros, e a socorrê-las. "

 

E retornando às profecias de tempos difíceis para a Igreja Católica o atual papa escrevia "Senhor, freqüentemente tua Igreja nos parece uma barca a ponto de afundar, que faz águas por todas as partes. E também em teu campo vemos mais cinzas que trigo. Afligem-nos tuas vestes e teu rosto tão sujos. Mas os cobrimos nós mesmos. Nós que te traímos, não obstante os gestos redundantes, as palavras altiíssonas." E finalmente "Na putrefação das ideologias, a nossa fé deveria ser de novo o perfume que reconduz às pegadas da vida."

 

Os textos aí estão, das centúrias, das pregações. A análise geopolítica de tempos conturbados, de retorno a tempos de "guerra fria " agora espacial se confirmam na versão armagedônica um tanto clown, desenvolvida por Bush e continuada pela grande esperança , Mr. Obama. O que nos resta dizer? Quem viver verá? Obviamente fizemos uma coleta desses arautos de tempos difíceis muito embora com a tendência belicosa da maior potência do mundo e com o fundamentalismo tipoiado no terrorismo, poucos tempos de paz podemos vislumbrar. Como a modernização da igreja católica foi adiada com a eleição do novo papa é legítimo dizer que os estudiosos das profecias e centúrias ganharam uma sobrevida e podem brilhar nas páginas da mídia que por ser cultural, adora instigar mais um debate.

 

SAIBA MAIS SOBRE 2010 COM OS NOSSO PARCEIRO

 

 

 

 

FALE COM A GENTE


  Free counter and web stats

 

Voltar à

Página principal